Periscope, Game of Thrones e a nova era da pirataria

Por carambola.com.vc - 14/04/2015

Depois de muita expectativa, a quinta temporada da série Game of Thrones, da HBO, foi ao ar na noite do domingo. Usuários do app Periscope – lançado pelo Twitter para permitir streaming ao vivo de vídeos pelo smartphone – transmitiram o episódio inédito pela internet.

Recentemente, a HBO tem trabalhado para inibir a pirataria de seu seriado. No ano passado, o final da quarta temporada quebrou todos os recordes de pirataria. Em apenas um dia, 1,5 milhão de pessoas baixaram ilegalmente o episódio. No final de 2014, a estimativa era de que o capítulo havia sido baixado 8,1 milhões de vezes.

A HBO investiu em um serviço de streaming, o HBO Go, que pode ser assinado e acessado independentemente de um serviço de TV a cabo (não disponível no Brasil ainda). A empresa também transmite o seriado no mesmo horário em diversos países do mundo. O Brasil, inclusive, é um deles. Assinantes do canal podem assistir ao seriado ao mesmo tempo em que ele é transmitido nos EUA.

Mesmo com os esforços recentes da HBO, novos personagens aparecem do lado da pirataria. Os apps de streaming Meerkat e Persicope não existiam no ano passado e representam uma nova briga.

Na estreia desta temporada de Game of Thrones, não era difícil encontrar transmissão ao vivo do episódio feitas pelos usuários dos apps. Mas não foi a primeira vez. No lançamento de Velozes e Furiosos 7, usuários dos aplicativos estavam transmitindo o filme todo ou parte dele dos cinemas americanos.

A atitude dos usuários representa quebra de direitos autorais, assim como dos termos de serviço dos apps. Após a estreia da nova temporada de Game of Thrones, o Twitter (dono do app Periscope), já se posicionou.

A versão australiana do site Mashable procurou um porta-voz da empresa para falar. De acordo com ele, os usuários que usarem suas contas do Periscope para streaming de conteúdo não autorizado serão suspensos.

Os termos de serviço do Periscope são claros. Neles, a empresa se reserva o direito de “remover conteúdo que infrinja direitos sem a necessidade de aviso ao usuário”.

Na prática, ambos os serviços têm limitações para o uso pirata. O Meerkat não armazena o vídeo, é preciso assisti-lo ao vivo. O Periscope, por outro lado, permite que o conteúdo do streaming fique online para que seja acessado por outros usuários, mas somente por 24 horas.

Os problemas de pirataria da HBO com a nova temporada não se limitam aos novos apps. Antes da estreia, os quatro primeiros episódios foram colocados online em serviços de torrent.


Via EXAME