Parlamento Europeu aprova proposta de divisão do Google

Por carambola.com.vc - 01/12/2014

Na última quinta-feira (27), o Parlamento Europeu aprovou o pedido que tem em vista a separação dos mecanismos de busca de outros serviços fornecidos pelo Google.

A votação foi apurada em 384 votos a favor, 174 contra e 56 abstenções. E mesmo sem mencionar o nome da empresa, o documento diz claramente que “o mercado de buscas online é de particular importância para assegurar condições de competitividade dentro do mercado digital como um todo, dado o potencial de transformação desses motores de pesquisa em gatekeepers e a sua possibilidade de comercializar e explorar informações obtidas”. Entretanto, por mais que o Parlamento tenha uma grande influência, a decisão final é da Comissão Europeia (CE) – responsável pelo poder Executivo.

Além disso, outro argumento é em cima das políticas de privacidade: o Google consegue, por diferentes serviços como Gmail, Google+ e Youtube, combinar informações dos usuários e, assim, utilizar para o direcionamentos de anúncios. Dessa forma, a empresa consegue ter um enorme domínio no mercado de buscas – chegando a ser 90% – e promove os seus próprios serviços nos resultados de pesquisa.

Contudo, não é a primeira vez que a empresa é alvo da União Europeia. Em 2010, o caso do espanhol que queria retirar links que mencionavam a venda de seus bens em 1998 para quitar dívidas foi parar no tribunal. A decisão foi de que qualquer buscador tem a obrigação, em determinadas circunstâncias, de remover links que são publicados por terceiros e que contêm informações relacionadas a uma pessoa. O Google dizia, até então, que não era responsável pelo conteúdo que circulava na internet e apenas agrupava os links.