Oficina online gratuita sobre “Acessibilidade e Pessoas com Deficiência”

Por carambola.com.vc - 12/03/2015

Apesar de representarem mais de um quinto da população brasileira, as pessoas com deficiência ainda têm muitos de seus direitos negligenciados, entre eles o de ter acesso aos espaços e serviços públicos, ao transporte, à informação e comunicação. Ao impossibilitar ou dificultar a convivência social das pessoas com deficiência, além de violar seus direitos, a sociedade promove sua exclusão social.

Diante desse cenário de desafios, a Rede Mobilizadores promove, de 16 a 20 de março, a oficina online “Acessibilidade e Pessoas com Deficiência”, para debater as principais dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam para exercer seu direito de ir e vir, de ter acesso aos lugares e serviços públicos, ao estudo, ao lazer, à cultura e aos meios de comunicação. A oficina terá como facilitador Marco Castilho, presidente do Conselho Estadual para a Política de Integração das Pessoas com Deficiência (CEPDE-RJ).

joao-eliza-juliana-campus-party

Eliza (mãe de João), João Santiago (criado do aplicativo Dá Pra Ir?) e Juliana Glasser (Carambola) na Campus Party 2015.

Em alguns casos, o grande impeditivo para efetiva inclusão das pessoas com deficiência na sociedade é o preconceito. Mas, além disso, a pessoa com deficiência está sujeita a todo tipo de impedimento. Apesar de a legislação refutar qualquer tipo de cerceamento no exercício da cidadania dessas pessoas, tais barreiras ainda persistem. Os exemplos são vários, como ausência de rampas de acesso, portas estreitas que impedem a circulação de cadeira de rodas, elevadores sem controles em Braille, portas automáticas sem sinalização visual para deficientes auditivos, isso sem falar nos muitos impeditivos ao acesso ao lazer, como ausência de intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e de tela de legenda e audiodescrição em salas de cinema, teatro, museus, entre outros, visando atender a pessoas surdas, cegas ou com baixa visão.

Até pouco tempo atrás, costumava-se acreditar que a integração à sociedade era responsabilidade da pessoa com deficiência. Se o surdo não entendia o que estava sendo dito na tevê, a culpa era dele e não da emissora que não colocou legenda. Atualmente, entende-se que é a sociedade e não a pessoa que deve mudar.

Para vencer as barreiras à acessibilidade é preciso que produtos, equipamentos, ambientes e meios de comunicação sejam concebidos do ponto de vista do Desenho Universal, que recomenda que tudo deve poder ser utilizado por todos, o maior tempo possível, sem necessidade de adaptação, beneficiando pessoas de todas as idades e capacidades. É preciso também que a legislação relativa às pessoas com deficiência seja conhecida e cumprida, e que haja mais fiscalização.

Durante a oficina, serão debatidos o conceito de acessibilidade, os principais desafios para tornar as cidades brasileiras acessíveis, os preconceitos em relação às pessoas com deficiência, os avanços na legislação, as iniciativas que vêm incentivando a mudança de práticas em todo o Brasil, e os principais desafios para promoção da inclusão social das pessoas com deficiência.

A oficina tem apoio do Banco do Brasil, Eletronuclear, Fiocruz, Fundação Banco do Brasil e Furnas e Itaipu Binacional.

INSCRIÇÕES:

As inscrições para a oficina podem ser feitas até esta sexta-feira, 13 de março. Para se inscrever, é preciso estar cadastrado no site da Rede. O processo é simples, rápido e gratuito.

Para fazer sua inscrição, clique aqui.

Mais informações no site (www.mobilizadores.org.br) ou pelo telefone: 21 – 2528-3352.

Fonte: Rede Mobilizadores