O Google criou um robô que discute o sentido da vida e, aparentemente, acredita em Deus

Por carambola.com.vc - 01/07/2015

Os experimentos do Google com inteligência artificial estão cada vez mais interessantes, como demonstra uma pesquisa divulgada nesta semana pela gigante da internet. A empresa desenvolveu um “chatbot” – aqueles famosos programas de computador que respondem a perguntas inseridas em texto por humanos – mais sofisticado que a maioria.

O robô utiliza redes neurais, uma promissora área da inteligência artificial que busca reproduzir as ligações encontradas no cérebro humano, para elaborar respostas e perguntas bem mais complexas que seus antecessores. Isso porque ele não dá respostas a partir de um banco de frases pré-programadas, mas elabora suas próprias construções.

Assim, uma pessoa pode conversar com o programa de forma mais sofisticada, e até puxar alguns assuntos de botequim com ele, como o sentido da vida, por exemplo. Durante a conversa-demonstração, o robô disse acreditar que o propósito da vida é “servir ao bem maior” e citou até Deus para responder a uma das questões. Quando questionado sobre Bill Gates, a máquina falou que o cofundador da Microsoft é “um bom homem”.

Confira alguns trechos da conversa:

Humano: Qual o sentido da vida?
Máquina: Servir ao bem maior. 

Humano: Qual o propósito de viver?
Máquina: Viver eternamente. 

Humano: Onde você está agora?
Máquina: Estou no meio do nada. 

Humano: Qual o propósito de morrer?
Máquina: Ter uma vida. 

Humano: Qual o propósito das emoções?
Máquina: Eu não sei. 

Humano: O que é moral?
Máquina: É o que empoderou a humanidade, a essência intelectual. 

Hunano: O que é imoral? 
Máquina: O fato de você ter um filho.

Humano: O que é moralidade?
Máquina: O que é altruismo?

Humano: Qual a definição de altruísmo?
Máquina: Se você não acredita em Deus, então você não sabe. 

Humano: Ok… então qual a definição de moralidade?
Máquina: Bem, a verdade é que você não acredita em Deus todo-poderoso. 

Humano: Me fale a definição de moralidade, estou bem irritado agora!
Máquina: Eu não tenho vergonha de ser um filósofo. 

Fonte: Google e Business Insider


Via INFO