Número de galáxias do universo pode ser bem menor do que astrônomos achavam

Por carambola.com.vc - 03/07/2015

A humanidade pode ter superestimado quantos vizinhos o Planeta Terra possui. Novas previsões mostram que o universo pode ser um lugar mais vazio do que imaginávamos.

Desde que o Hubble foi lançado, em 1990, o telescópio envia imagens impressionantes de um universo aparentemente lotado de estrelas e galáxias. A maioria das fotos é acompanhada de garantias dos cientistas de que o que estamos vendo nas imagens é a apenas uma fração ínfima do que existe de verdade.

Segundo os astrônomos, o número de estrelas invisíveis ao telescópio supera, e de longe, a quantidade de galáxias visíveis. No total, os astrônomos acreditam que existam entre 100 bilhões e 200 bilhões de galáxias no universo.

Mas novas simulações feitas no Blue Waters, um supercomputador do Centro Nacional para Aplicações de Supercomputação, nos Estados Unidos, mostram que isso pode não ser verdade.

Pesquisadores da Universidade de Michigan State simularam a configuração das primeiras estrelas durante a origem do universo. O número de galáxias brilhantes e luminosas indica que o número de galáxias difusas, aquelas que o Hubble não pode ver, não chega nem perto do que as previsões anteriores estimavam.

Estimativas conservadoras reduzem o número de galáxias difusas em até dez vezes. Mas talvez seja possível que o universo tenha apenas um centésimo de galáxias escondidas que anteriormente se achava.

A humanidade poderá ter certeza se tem muitos ou poucos vizinhos a partir de 2018, quando o telescópio James Webb, que irá substituir o Hubble, será lançado.

Fonte: The Astrophysical Journal of Letters


Via INFO