Esta é a Arc Pen, uma caneta criada para quem sofre da doença de Parkinson

Por carambola.com.vc - 06/04/2015

A doença de Parkinson tem como principal manifestação o comprometimento progressivo dos movimentos. Essa condição normalmente leva a pessoa a apresentar tremores nas mãos que dificultam atividades simples, como folhear um livro ou escrever em um caderno. Pelo menos para essa última tarefa, há uma solução a caminho: uma caneta especial chamada Arc Pen.

O dispositivo possui um mecanismo que detecta os movimentos involuntários da mão e responde com vibrações na mesma medida para tornar a atividade de escrita o mais estável possível. Se funciona? A Arc Pen já foi testada por 18 pacientes no Reino Unido e apresentou resultados satisfatórios em 86% dos casos.

Mas, por que uma caneta e não algo potencialmente mais útil? Lucy Jung, principal designer do projeto, explica que muitos dispositivos criados para ajudar portadores de doenças crônicas se focam apenas em tarefas essenciais (auxiliar a pessoa a se alimentar sozinha, por exemplo), mas atividades como escrever ou desenhar também são importantes para a qualidade de vida.

Tem mais: além dos tremores em si, pessoas com doença de Parkinson costumam sentir seus músculos se contraindo involuntariamente conforme a enfermidade avança. Durante os testes, Lucy e equipe perceberam que as vibrações da Arc Pen ajudam a relaxar os músculos das mãos. Os efeitos disso são sentidos até 10 minutos após o uso da caneta, dando mais conforto ao paciente e o ajudando em outras atividades.

Veja o vídeo clicando na imagem abaixo:
arc-pen-parkinson-2

Apesar de ter apenas 27 anos, Lucy Jung sabe muito bem o que é lidar com limitações de ordem neurológica. A designer teve a ideia de desenvolver o dispositivo depois de se recuperar de um tratamento que a livrou de um tumor no cérebro.

A caneta foi criada por Jung e outros três colegas – Hwan Soo Jeon, Tian-jia Hsieh e Danny Waklin – como trabalho de um curso de mestrado, mas o grupo quer levar a Arc Pen para o mercado. Para isso, eles criaram uma empresa chamada Dopa Solutions e agora buscam parceiros que possam ajustar com mais testes e com a produção do dispositivo em larga escala.

Fica a torcida para que o plano dê certo.

Via Tecnoblog